A Sede

O Comité Científico iniciou as suas actividades em 1997 num escritório da Casa Rosada, que ao pouco tempo se tornou completamente insuficiente, dado o volume de trabalho, o acréscimo contínuo do mesmo e a necessidade de mais colaboradores e de mais empregados na secretaria.

No ano 2000 mudou-se para um amplo primeiro piso no nº 48 da Rua Cabrales, em pleno centro da cidade.

Finalmente, no mês de abril de 2003, o Comité Científico da SIBI foi transferido para a sua nova e definitiva sede, num prédio catalogado como histórico-artístico, profunda e acertadamente restaurado, situado no centro de Gijón. Construído entre 1924 e 1927, está firmemente vinculado à memoria histórica da cidade e é muito querido pelos gijoneses dado que durante muitos anos albergou o Instituto de Puericultura, onde se realizou uma importante assistência sanitária e social de atenção à gravidez e às crianças e suas mães, razão pela qual o denominam carinhosamente “a Gota de Leite”.

Nos dias prévios, e em várias jornadas de portas abertas, o prédio recebeu a visita, em muitos casos evocativa e sempre comovida pelas lembranças suscitadas, de uns 14.000 gijoneses.

FOTOS Acima: Inauguração da nova sede com intervenções da Presidenta da Câmara Municipal de Gijón e do Presidente do Governo do Principado das Astúrias. Abaixo: Parte do público assistente. FOTOS

A Sociedade Internacional de Bioética -que de forma independente partilha o prédio com a Fundação Municipal de Serviços Sociais e Cooperação Internacional- ocupa os três andares da chamada “Torre del Reloj” e outros recintos considerados em conjunto como a parte nobre do edifício. No primeiro andar, encomtram-se os escritórios da Secretaria e o Comité Científico, o expositor de publicações, bem como a Biblioteca, de madeira talhada e primorosamente envidraçada. No segundo andar, encontra-se o Salão de Actos, com Anfiteatro, de qualidade e vistosidade similares às da Biblioteca, com capacidade para umas cem pessoas e dotado dos meios técnicos necessários para reuniões e conferências. No terceiro andar desta torre, encontramos ainda um escritório para as tarefas administrativas.

(Na entrada da SIBI, um busto recorda o Sr. Dr.Avelino González, cujo empenho, dedicação e profissionalismo fizeram com que, resolvendo dificuldades, a construção do edifício fosse possível e que se desenvolvesse essa extraordinária tarefa, reflexo da sua grandeza humana)